segunda-feira, 28 de julho de 2008

Sobre o fim e este começo


Amanheci feliz. Sinto que o pior está ficando para trás. Eu sou muito pelas pessoas que gosto. Me dôo demais. Mas chega uma hora em que a gente tem que desistir. Não vou fazer mistério: uma das coisas que podem levar o ser humano a criar um blog, além do óbvio amor por escrever, é terminar um namoro. O meu se acabou. Mas tenho vivido coisas bastante interessantes. Por exemplo: Uma divertida e antropológica incursão pelas boates da zona sul do Rio. Vou criar um post só para falar delas...

2 comentários:

Anamaria disse...

Antropológica foi ótima!
Me senti uma dinossaura agora, ou, na contemporaneidade, uma espécie de crocodilo fêmea, tartaruga de Galápagos ou qualquer coisa assim, da classe dos répteis sobreviventes da cidade grande!

Dona Lapa disse...

Ah, eu estou escrevendo a ATA dessas nights cavernosas, mas um tanto quanto engraçadas. Estamos na Era de colocar um basta. Isso é sinal de que dias melhores virão, e de que a gente tem esperança de um homem (ops), quer dizer, de um mundo, melhor.
*ah,Dona Lapa sou eu, Flavia.